sábado, 12 de junho de 2010

10 Dicas Para Poupar Nos Seus Seguros.....

Image and video hosting by TinyPic


Automóvel, casa, vida, saúde. Estes são apenas alguns dos seguros mais comuns que a maior parte das famílias portuguesas possui. Já alguma vez fez as contas a quanto gasta por ano com os seus seguros? Provavelmente, milhares de euros do seu orçamento anual são despendidos com este tipo de produtos .
Se alguns são obrigatórios por lei, como é o caso do seguro automóvel e de incêndio, muitos outros são exigidos, por exemplo, aquando da aquisição de casa (seguro multiriscos habitação e seguro de vida) ou mesmo subscritos apenas porque lhe foram "impingidos" pelo seu banco ou seguradora.
O segredo para poupar nos seguros não passa necessariamente por eliminá-los da sua lista de despesas, mas sim por saber como cortar nos prémios que paga e no supérfluo.Um dos maiores erros que as pessoas cometem na contratação de seguros "é não fazerem uma prospecção de mercado e uma análise criteriosa e exaustiva antes de contratar os seguros". É que, de acordo com a especialista, "as diferenças de prémios são gritantes".
O Diário Económico deixa-lhe aqui dez dicas para conseguir cortar com as suas despesas com seguros.

1 - Avalie as suas necessidades e pesquise;
Antes de subscrever um produto é importante saber o que pretende e familiarizar-se com expressões como coberturas, exclusões, franquias, períodos de carência, limites de capital, etc. É que o desconhecimento da terminologia pode levar à subscrição de seguros que não são os mais indicados. Segue-se a prospecção do mercado. Nisso a internet poderá ser uma boa ajuda. Sente-se à frente do computador e faça simulações já que muitas seguradoras disponibilizam simuladores nos seus sites e compare as diferentes propostas.

2 - Evite a duplicação de seguros;
Nem sempre as pessoas conhecem todas as coberturas dos seus seguros e or vezes têm duas apólices que cobrem o mesmo risco, o que normalmente não traz vantagens porque as indemnizações não são cumulativas e os encargos poderiam ser mais baixos. Um deles é o seguro de viagem. "Nesse caso não vale a pena a cobertura de assistência em viagem porque esta já existe no seguro automóvel e é possível activá-la mesmo que a pessoa não esteja a viajar de carro". Os seguros de responsabilidade civil familiar são outro exemplo. Antes de subscrever um destes seguros confirme se já não tem um que cubra alguns dos riscos como é o caso do seguro associado ao cartão de crédito ou multiriscos habitação.

3 - Apenas o essencial ;
Por vezes, as seguradoras tentam "impingir" coberturas que não trazem vantagem ao cliente e só encarecem o prémio final. Se vai contratar um seguro é importante definir exactamente as coberturas e o capital que quer porque pode estar a gastar dinheiro desnecessariamente.Por exemplo, quem tem um carro com valor comercial baixo terá mais vantagens em subscrever um seguro apenas com cobertura de responsabilidade civil obrigatória e assistência em viagem, do que um pacote que abrange danos próprios. Outro caso: para quem viva numa zona de baixo risco sísmico, valerá a pena incluir no seguro multiriscos os fenómenos sísmicos? No Seguro Casa da Império Bonança, por exemplo, a sua inclusão encarece em 53,71 euros o prémio anual.

4 - Pagamento integral,
As seguradoras disponibilizam diferentes prazos alternativos para o pagamento do prémio dos seguros: mensal, trimestral, semestral ou anual. Sempre que possível opte pelo pagamento anual, ou seja, por inteiro. É que, embora pagar a prestações seja uma solução mais confortável para o bolso, é simultaneamente menos económica. Por exemplo, um seguro automóvel com cobertura de responsabilidade civil obrigatória e assistência em viagem na Açoreana Seguros em que o prémio anual seja de 208,03 euros, se o cliente optar pelo fraccionamento em 12 meses vai pagar mensalmente 24,57 euros,ou seja, vai acabar por gastar mais 86,81 euros no prémio final.

5 - Franquias opcionais;
Em alguns seguros, não é possível escapar ao pagamento de franquias- montantes (em percentagem do valor seguro) que em situações de sinistros têm de ser suportados pelo cliente- já que são obrigatórias. No entanto, em algumas situações é possível optar ou não pela contratação de uma franquia, bem como escolher diferentes percentagens. Se optar por um limite elevado, terá de pagar uma percentagem mais alta em caso de activação do seguro, mas ao mesmo tempo o prémio anual também é mais baixo. No caso do seguro automóvel com cobertura de danos próprios, escolher as franquias mais elevadas permite descontos até 75% nos prémios.

6 - Ligue às low cost;
Regra geral, as seguradoras telefónicas e pela internet - como a Ok! Teleseguros, N Seguros, Logo e Seguro Directo- são mais económicas.A sua estrutura comercial envolve muito menos custos, por isso podem cobrar prémios mais baixos. A OK! Teleseguros, é a escolha acertada para muitos clientes. No caso de um condutor de risco agravado as poupanças face ao prémio médio para o pacote mais abrangente podem chegar aos 1031 euros por ano no caso em que o veículo segurado é um Volkswagen Golf 2.0 TDi.

7 - Aproveite as promoções,
Se é sócio de um clube ou associação, procure saber se têm parcerias com seguradoras,para além disso, também existem campanhas de descontos nos seguros. Por exemplo, a Logo oferece 10% de desconto na subscrição online do pacote de seguro do imóvel e recheio, bem como oferecem a prestação do primeiro mês no seguro do imóvel ou recheio. Já a Seguro Directo tem uma campanha em que oferece 20 euros em senhas de combustível ao cliente por cada amigo que subscreva um seguro automóvel.

8 - Em pacote é mais barato?
Até há pouco tempo, contratar mais de um seguro na mesma seguradora ou mediador permitia descontos de 20% ou mais no preço do pacote,contudo isto nem sempre é verdade. Contratar em diferentes companhias pode ser mais compensador porque uma seguradora pode ter preços mais competitivos para um certo seguro mas cobrar mais do que a concorrência noutro tipo de seguro. Mas esteja atento porque existem situações em que comprar em pacote compensa. Por exemplo, através do produto Ok! Família, a junção de todos os seguros automóvel do agregado numa única apólice permite um desconto até 20% no prémio do seguro.

9 - Vá a intermediários de seguros;
Procurar um mediador ou corretor de seguros é uma opção que permite poupar algum dinheiro, à partida vai conseguir descontos maiores porque a passagem dos seguros para os mediadores desonera as seguradoras de uma data de custos, por isso nestes casos, elas podem praticar preços mais baixos na transferência,entre 20% a 25% face à contratação ao balcão das seguradoras. Para além disso, como os mediadores representam várias seguradoras, o leque de alternativas também é maior.

10 - Preste declarações com exactidão;
Revelar o máximo de informação possível e não prestar declarações falsas na altura da assinatura do contrato pode evitar dissabores e levar a poupanças futuras. Os seguros de saúde são um exemplo,o ocultar uma doença anterior pode mais tarde resultar na anulação do seguro e na perda dos prémios já pagos.É que em caso de activação do seguro, a seguradora vai investigar o historial clínico do cliente,o mesmo se aplica no seguro multiriscos. Para efeitos do seguro é considerado o valor de reconstrução (mão de obra e materiais) do imóvel e não o valor da avaliação.Isto por vezes pode criar uma situação de sobreseguro, se o valor da avaliação for superior.

Sem comentários:

Enviar um comentário