quarta-feira, 15 de abril de 2015

Como Bem Cuidar do Seu Gato...

Cuidando de seu gato com carinho, terá em troca um amigo fiel, inteligente e alegre. Para isso, alguns cuidados devem ser tomados.

Vacinação

Todos os gatos necessitam receber a vacinação para se evitar a rinotraqueite, calicevirose, panleucopenia, etc, e a mais conhecida de todas as doenças; a raiva. Contudo, o filhote não as deve receber todas de uma vez, é preciso esperar o tempo necessário, mas jamais descuidar-se delas.

Seu filhote somente poderá ser vacinado contra a raiva a partir dos 4 meses de idade, e deverá ser revacinado anualmente com todas as vacinas. Aprenda a levar o seu amiguinho ao veterinário regularmente.

Cuidados especiais

SARNA - A grande maioria das sarnas tem cura, mas o quanto antes se inicia o tratamento, mais rápido e fácil será a cura. Ao primeiro sinal da doença, procure o veterinário ou voluntário responsável que poderá orientá-lo.

PULGAS E CARRAPATOS - As pulgas vivem em tapetes, cadeiras estofadas e nos tecidos onde o gato dorme. Tanto as pulgas como os carrapatos podem transmitir doenças capazes de matar o seu animalzinho. Um produto eficaz é o Frontline (spray ou spot), mas existem outros produtos próprios para combater esses parasitas, porém consulte sempre o seu veterinário para orientá-lo melhor.

CÁLCIO - Todo filhote necessita de cálcio para poder crescer forte e saudável, por isso é importante que ele receba durante o seu primeiro ano de vida. Sugerimos adquiri-lo em farmácias ou casas de produtos veterinários. Tendo qualquer dúvida, fale com o veterinário responsável para receber a orientação necessária.

Banho

Os gatos são animais que não suam e por isso não costumam ficar mal cheirosos. Daí necessitarem de poucos banhos, pois eles mesmos cuidam de sua higiene.

O banho deve ser dado com água morna e produtos neutros, próprios para animais. Tomar cuidado para não entrar água e sabão nos olhos e orelhas. No inverno evite banhos. Procure escovar o seu gato, pois assim você estará eliminando os pêlos mortos, escamações de pele morta e outras impurezas.

Educação

Eduque seu animalzinho com firmeza, mas sempre com muito carinho. Os gatos costumam ser animais limpos e que não gostam de fazer suas necessidades em qualquer lugar. Mas precisam de tempo, aprendizado e paciência. Quando ele fizer uma de suas artes, repreenda-o com um jornal enrolado, para bater no chão, ao lado da prova do crime. Jamais bata nele, isso pode provocar traumas que poderão torná-lo medroso ou mesmo agressivo.

Damos como sugestão a areia  granulada, que serve como sanitário para os gatos. Os granulados devem ficar numa caixa de plástico e esta deve ser deixada num local onde o gato possa entender que é o seu banheiro. Pelo menos 1 ou 2 vezes ao dia a caixa deve ser limpada, retirando-se com uma pá a sujeira juntamente com os grãos acumulados nesta. A areia, além de higiênica, atrai os gatos e torna o ambiente mais limpo e sem cheiro, já que estes granulados também absorvem o mau cheiro.

Jamais deixe ele sair sozinho nas ruas, além de correr risco de atropelamento, pode sofrer agressões, entrar em contato com animais contaminados, ingerir alimentos estragados ou envenenados.

Você é professor dele, com carinho, paciência e bom senso você conseguirá com que o gato aprenda o necessário para viver bem e feliz. Coloque um nome nele e chame-o sempre dessa forma. O local onde ele dorme deve ser limpo, seco e protegido contra chuvas, sol intenso, vento e frio. Um animal bem cuidado terá uma vida boa e feliz. Nunca o abandone, ele depende de você!

Alimentação

Escolha uma ração apropriada a filhotes para alimentá-lo até 1 ano de idade. Depois troque para ração de adultos.

Dê 3 refeições diárias enquanto ele for filhote e 2 refeições diárias quando se tornar adulto.

Caso prefira alimentá-lo com comida, existem opções baratas, tais como: frango com arroz e legumes cozidos. Acrescente um pouco de óleo e sal, porém, não use nenhum tempero. Jamais ofereça alimento mofado, estragado, com muito tempero, molhos, doces ou chocolates para seu gato filhote ou adulto.

A alimentação deve ser feita diariamente e em horários fixos, se o gato não comer, retire sua vasilha evitando assim a presença de insetos e roedores. Jamais pule um dia e compense no outro; o gato não pode comer o dobro num dia e nada no outro. Mantenha sempre disponível uma vasilha com água limpa e fresca.

Vermifugação

Os vermes são os grandes vilões dos gatos, principalmente dos filhotes. Por isso, o seu amiguinho foi entregue aos seus cuidados devidamente vermifugado na primeira dose (pelo menos é o que todo doador deveria fazer). Porém, você deverá reforçar essa vermifugação para garantir a perfeita saúde dele.

Depois de adulto é conveniente vermifugar seu gato a cada 6 meses. Tratar com vermífugo regularmente permite ter o controle da maioria dos parasitas internos (vermes), evitar doenças e até mesmo a morte do animal. Além do mais, vermifugar é barato e fácil de se fazer.
Como Cuidar do Seu Gato

Embora os gatos sejam independentes por natureza, mesmo assim eles precisam dos seus cuidados como qualquer outro animal de estimação. E certamente irão apreciar muito os seus carinhos. Aprenda, lendo este artigo, como melhor a maneira de tratar seu gatinho e ter com ele uma relação de muito companheirismo, com todas as alegrias que isso vai trazer a você.

ALIMENTAÇÃO

Quem tem um gato quer estar sempre seguro de que as refeições que serve a ele são não apenas apetitosas, mas também balanceadas para atender as necessidades de nutrição do animal.

Isso é possível com o uso do alimento especialmente preparado para ele. Hoje, existem no mercado, vários alimentos completos e balanceados, que atende totalmente ás necessidades de nutrição dos gatos.

O alimento industrializado (Ração) deve ser introduzido aos poucos na alimentação dos gatos, para que eles se acostumem a mudança no paladar e na textura. Água fresca deve estar sempre à disposição do gato, qualquer que seja a dieta.

Os gatos diferem muito quanto a quantidade de alimento que necessitam, que varia conforme o tamanho, a raça, o estado e as características de cada animal. A maioria dos gatos está bem adaptada para controlar o alimento que ingerem em relação ás suas necessidades. Como, normalmente, os alimentos industrializados têm uma alta aceitação, poderá ocorrer de o gato comer em excesso. Por esta razão, é sempre recomendável observar as indicações nas embalagens dos pacotes de ração.

GATOS OBESOS

Os gatos raramente se tornam gordos, mesmo sendo animais bastante preguiçosos. Mas os gatos castrados podem muitas vezes tornar-se obesos. Para evitar isso, é aconselhável reduzir a quantidade de comida e alimentá-los de forma mais equilibrada.

Você pode dar ao seu gato metade da quantidade habitual de ração e observar se isto reduzirá o peso do animal de modo satisfatório. Em caso contrário, o regime alimentar deverá ser feito sob a supervisão de um veterinário.

Se normalmente você dá ao seu gato algum tipo de guloseima durante as refeições, suprima este hábito. Ele pode ser responsável pelo excesso de peso. Se o seu gato, além de gordo, parecer em más condições, leve-o sem demora ao veterinário, pois ele poderá estar precisando de tratamento.

LEITE

A maioria dos gatos aprecia uma tigela de leite, mas alguns têm dificuldade de digeri-lo, o que poderá causar diarreia. Nestes casos, você deve reduzir a quantidade ou eliminar o leite. Assegure-se de que o seu gato tenha à disposição água fresca.

GATAS GESTANTES

A gata necessitará de mais alimento quando tiver filhotes. Por esta razão, deve ser fornecida uma quantidade maior de alimento para o crescimento antes e após o nascimento dos filhotes, para assegurar a produção do leite.

Desde o início da gestação, a gata prenhe necessitará de mais alimento, cuja quantidade deverá ser aumentada gradativamente. Durante as últimas 2 ou 3 semanas do período de 9 semanas de gestação, ela estará comendo aproximadamente o dobro da quantidade normal.

Uma gata em período de lactação poderá necessitar até três vezes mais a quantidade normal de alimento quando os filhotes atingirem 3 ou 4 semanas e precisará ser alimentada com mais frequência, variando a dieta para assegurar a nutrição adequada. É aconselhável dar à gata tanto leite quanto ela queira beber, desde que possa ser digerido convenientemente.

FILHOTES

Quando em fase de crescimento, os gatinhos têm necessidades maiores de alimentação: proteínas para criar músculos, mais cálcio e fósforo para o desenvolvimento dos ossos e uma enorme quantidade de outros sais minerais e vitaminas. Pode ser dado alimento em grande quantidade, bem como leite.

Mesmo quando é dado leite aos filhotes, é importante que eles tenham sempre água fresca disponível.

Em geral os filhotes são suficientemente ativos e bem constituídos para iniciar a ingestão de alimentos suplementares com quatro semanas Nesta fase, a mãe terá menos leite para dar Os filhotes nesta idade poderão comer ração adicionado ao leite.

Os filhotes desmamados de 7 ou 8 semanas devem ser alimentados ao menos três vezes ao dia.

Lembre-se que os filhotes crescem muito rapidamente e que o seu apetite e necessidade de alimentação aumentam também. É difícil super alimentar um filhote em crescimento se as refeições forem fornecidas conforme o indicado.

Alimente os filhotes sempre que achar conveniente e nunca menos que três vezes ao dia até eles completarem 6 meses. Caso haja sobra de alimento no comedouro, o mesmo deverá ser retirado em no máximo 15 minutos.

CASTRAÇÃO

A menos que você queira que seu gato procrie, procure a orientação de seu veterinário sobre castração e outras formas de controle da reprodução. A castração das gatas (reprodutoras) é designada ovariectomia. A esterilização dos gatos é conhecida por castração. O melhor é discutir com o veterinário qual o procedimento a tomar.

SAÚDE

Muitos donos não sabem que, assim como os cães os gatos também devem ser vacinados.

Graças à vacinação,hoje os gatos já podem ser protegidos contra uma doença grave e muitas vezes fatal: a Enterite lnfeciosa dos Felinos (internacionalmente conhecida por F.l.E.). Esta doença é por vezes designada "Gripe dos Gatos'" o que leva a confundi-la com outra virose associada a corrimento dos olhos e do nariz.

A vacinação é feita em duas etapas, a primeira dada geralmente por volta das 8 semanas e a segunda, por volta das 12 semanas ou a critério do veterinário. Uma única dose de reforço por ano ajuda a manter a imunidade.

Os veterinários estão cientes sobre as doenças mais comuns na sua região e poderão aconselhá-lo quanto às datas das vacinas. A melhor medida é marcar uma consulta para vacinação tão logo você receba o seu filhote ou assim que desmamá-lo, caso você mesmo o tenha criado. Nesta ocasião, poderá discutir também a data de outros procedimentos rotineiros, como o sistema de vermifugação e castração. Siga sempre cuidadosamente as recomendações do seu veterinário. A vida do seu gato pode depender disso.

HIGIENE

É muito importante dar ao gato desde cedo um local certo para que ele faça suas necessidades. Um banheiro ou uma área externa são ideais para isto e evitarão que o gato venha a usar a casa para este fim. O local escolhido deverá ser inspecionado e as fezes removidas todos os dias.

Os gatos são animais muito limpos e tomam vários "banhos" por dia, ou seja, eles promovem a sua própria higiene, lambendo-se diariamente. Mas se for necessário você banhá-los, use sempre água morna, shampoo ou sabonete neutro e seque cuidadosamente o pelo com uma toalha ou secador. O prato de comida deve ser lavado após a alimentação do gato e a lavagem deve ser feita em separado da louça da família. Nunca use um de seus próprios pratos para seu animal de estimação.

O mesmo deve acontecer com o prato de leite do seu gato. Certifique-se de que o prato está sempre limpo e o leite sempre fresco. O leite que tenha sobrado de uma refeição deve ser imediatamente jogado fora. Desta maneira, você terá certeza de que o seu animal de estimação e a sua família se manterão saudáveis num lar saudável.

COMPANHEIROS FÁCEIS DE CUIDAR

Os gatos são animais de estimação domésticos e relativamente auto-suficientes. Por isso mesmo, ideais para lares de muito trabalho. Contudo, se as circunstâncias negarem companhia humana durante a maior parte do dia, é preferível ter dois gatos do que apenas um,já que estes animais apreciam a companhia de seus semelhantes.

Os gatos se mantém limpos por eles próprios lavando-se cuidadosamente. Gatos de pelo longo necessitam de cuidados regulares com escova e pente.

ALGUÉM DA FAMÍLIA

A chave de toda a questão de ter um animal de estimação, de treiná-lo e mantê-lo, é o respeito pelo indivíduo. Você trata sua família nesta base e é assim que deve tratar também o seu gato. O animal de estimação tem sua própria personalidade e dignidade.

É seu dever preservar isto, lembrando que um contato especial entre seres humanos e animais exige um conhecimento mútuo das necessidades recíprocas.

Por amar o seu animal de estimação, você tem responsabilidades com ele. Seguindo estas Regras, você pode assegurar-se de que a sua responsabilidade com seu gato e com a sociedade foi corretamente cumprida.

CONSULTE SEMPRE O SEU VETERINÁRIO QUANDO HOUVER DÚVIDA QUANTO AO BEM-ESTAR DO SEU ANIMAL DE ESTIMAÇÃO.
Criar gatinhos é relativamente fácil. Tem gente que fala que gato é impossivel de adestrar, destrói a casa, arranha o sofá, etc etc. Mas se seu bichano for ensinado desde filhotinho ele vai crescer sendo um exemplo felino. Então, vai aí a receita para o gatinho bem cuidado, saudavel e ensinado;

Ingredientes;

1 Gatinho a sua escolha (Persa, Siamês, Vira-lata, Sialata…)

1 Caixinha de areia

1 Coleira (guizos e sininhos são opicionais)

2 Tigelinhas (uma para comida e outra para água)

No mínimo 1 arranhador

Brinquedos à vontade

1 Caminha ou cestinha fofa e confortável

Ração para filhotes

Muito amor, carinho e paciência.

Leve o seu gatinho pra casa e reserve um cantinho especial para ele (pode ser um banheiro, a varanda do apartamento…o ideal é um local pequeno), para que ele não se assuste com o tamanho da nova casa. Um gatinho mais extrovertido já vai sair pululando pela casa querendo conhecer tudo, enquanto que aqueles gatinhos mais tímidos vão ficar mais quietos e assustados, precisando de mais atenção por parte da nova família para se adaptar à casa nova.

Esse cantinho-do-gato deve ter sua a caminha (pode até ser uma caixa de papelão mesmo, com uma almofada ou um paninho macio dentro para ficar confortável e quentinho. O ideal é que a caminha tenha as bordas ligeiramente altas, para que o gatinho se sinta protegido lá dentro), seus brinquedos, o afiador de unhas e as tigelinhas de água e comida.Não deixe a caixinha de areia no mesmo ambiente, por causa do cheiro, mas ela deve estar em um lugar fácil e acessível ao seu gatinho.

É comum que os gatinhos mais assustados se escondam embaixo dos móveis ou em cima deles nos primeiros dias (o meu gato se escondia dentro do guarda-roupa…), quando isso acontece, a família deve dedicar atenção especial ao novo amigo felino, tirar ele do esconderijo com muita calma por favor, pegar no colo, passear pela casa, brincar, escovar, oferecer petiscos,não em excesso!!!

A ração deve ser suficiente e de qualidade. E muito, muito importante: gato não pode comer ração de cachorro!!! Dar a ração errada pode resultar em um monte de doenças, imunidade baixa, animais subnutridos e por ai vai.

Os gatos são muito frescos seletivos com a ração. Se o seu gatinho não gosta da ração que você comprou,você vai ter que achar uma que ele goste.... Gato, se não gosta da comida não come e morre de fome se não tiver uma ração do seu agrado!!! Se ele já era acostumado a uma ração, continue dando a mesma, ou, se for mudar de ração, vá mudando a ração aos pouquinhos, misturando um pouco da ração nova com aquela que ele já era acostumado.

O filhote sempre tem uma exigência nutricional maior que o animal adulto, por isso é importante usar ração específica para filhotes. Conforme o gatinho vai crescendo, ele começa a consumir uma menor quantidade de comida. Os pacotinhos de ração já vêm com a informação de quantidade de comida que deve ser administrada e quantas vezes por dia.

Agora, se o seu gatinho veio ainda antes de ser desmamado , é importante que você forneça todos os nutrientes necessários ao recém nascido antes de iniciar a alimentação com ração seca. Além do que, o gatinho recém nascido é tão pequeno que nunca iria conseguir comer ração!

Lembrando que os filhotes ainda não têm controle do esfíncter e por isso você deve estimular a defecação e micção passando um algodãozinho molhado (de preferência morninho) na região anal do gatinho, simulando as lambidas da mãe, para evitar uma constipação que pode terminar em morte.

A maneira correta de amamentar seu gatinho é sempre deixar ele em pé (sobre as 4 patinhas). Amamentar o gatinho de barriga pra cima (que nem bebê) pode fazer com que ele aspire o leite, trazendo complicações mais tarde.

Assim que seu gatinho passar dos 45 dias (mais ou menos…), você pode optar por uma papinha de desmame. A papinha de desmame ajuda o gatinho a ir se acostumando aos poucos com a  introdução de comida seca. Outra ideia é ir dissolvendo a ração seca em leite morno ou água, diminuindo gradativamente a quantidade de água, até que ele passe a consumir só a ração.
É importante a regularidade na hora de oferecer a comida ou dar a mamadeira. Os gatos são muito chatos e exigentes com a rotina. O ideal é sempre dar a comida nas mesmas horas todos os dias.

E tenha sempre água fresca e a vontade a disposição do filhote.

Higiene do gatinho;

Caixinha de areia e… banho?!

Uma vantagem dos gatos sobre os cachorros é que você não precisa gastar horas, dias e tapetes até que seu filhote aprendam a fazer xixi e cocô no lugar certo!!! Os gatinhos precisam de uma bandeja sanitária própria para gatos e de areia higienica.

Todo dia você deve recolher os “gruminhos” , evitando ao máximo que as excretas do seu gatinho tenham contato com a sua pele. E mais ou menos uma vez por semana, ou a cada 15 dias deve-se trocar toda a areia da caixa.

 É só você deixar a caixinha de areia num lugar fácil, visível e longe de fontes de água e comida,que o bichinho irá para lá quando sentir necessidade.

E quanto ao banho?! Em geral o gatinho se limpa sozinho, mas se você quiser uma ‘limpeza profunda’ pode sempre optar por um banho. Acostumando o gatinho com a agua desde cedo, facilita muito na hora de dar um banho quando ele for adulto. Água morninha, sem usar produtos com cheiro forte e muito amor, carinho e paciência são fundamentais. O primeiro banho tanto pode ser uma experiência agradável e limpinha quanto uma tortura. Muito cuidado ao manusear o gatinho na hora do banho. Tudo deve ser feito sempre com muita delicadeza, evitando traumas para o gatinho e arranhões e mordidas para você!!!

Adestramento de gatinhos; É possível?!

Sim,muito possível.

- Ensinar o gato a não subir no sofá, não arranhar os móveis, ou não fazer alguma outra coisa errada; Isso exige paciência... Você solta seu gatinho no “local proibido’ (a sala com o sofá novo, por exemplo) e fica ali, escondido só esperando pelo acto maléfico. Quando o gato se prepara para subir ou arranhar o sofá você, do seu canto escondido, emite algum tipo de som alto para assustar o animal. Pode ser bater um pedaço de jornal enrolado na parede, bater com uma colher de ferro no fundo de uma panela, dizer ‘não’ em tom firme e forte,tudo depende da sua criatividade. Depois de dois ou três sustos o seu gatinho já vai saber que aquela ação leva a um barulhento som que ele não gosta. E vai deixar de fazer. Lembre sempre de recompensar o gatinho quando ele fizer algo certo!!!

- Ensinar o gato a vir quando você chama;Tem gente que fala que o ruim de gato é que eles nunca vem quando você chama. Se você tiver um gatinho com um nome fácil e usar um tom de voz especial só pra ele (e recompensá-lo cada vez que ele vier) ele vai aprender logo a atender quando você chama.

- Na hora de chamar para o comer o item de cima também é válido. O ‘esquema’ é criar uma palavra própria para comida, numa entonação particular,pode ser “papa”” e bate as tigelinhas três vezes na mesa. O gato vem correndo de onde estiverem...

- Seu gatinho fez algo certo? Recompense com comida. Petisquinhos, um pouco de leite… o que ele gostar mais,mas sem exagerar!!!


O adestramento de um gato se resume em retirar ações indesejáveis e incluir ações desejáveis, mas mandar um gato sentar ou deitar é muito difícil!

Todo o Universo Felino é menos conhecido que o Universo Canino, com as vacinações não é diferente. Em geral as pessoas nem sabem que vacinas dar aos gatinhos,nem sabem que devem vacinar os gatinhos!!

Quem vai definir o calendário de vacinação do seu gatinho vai ser o Veterinário, mas em geral é mais ou menos assim;

2 meses- Vacina Múltipla – Primeira dose

3 meses-Vacina Múltipla – Segunda dose

4 meses- Vacina Múltipla – Terceira dose + Anti-rábica

A Vacina Múltipla é escolhida de acordo com a região e o tipo de vida do seu gatinho, por isso informe seu veterinário direitinho sobre os hábitos do seu amiguinho! As três variações são;

   Vacina Tríplice; contra panleucopenia, rinotraqueíte e calicivirose

   Vacina Quádrupla; contra panleucopenia, rinotraqueíte, calicivirose e clamidiose

   Vacina Quíntupla; contra panleucopenia, rinotraqueíte, calicivirose, clamidiose e leucemia felina

A vacina só deve ser aplicada quando o gatinho já tem mais de 45 dias, antes disso não adianta nada. Assim que o filhotinho nasce e começa a mamar, junto com o leite da mãe nas primeiras mamadas vem um boa dose de Imunoglobulinas (ou “Ig”, porque nós somos intimos, ou Anticorpos, se você preferir), da mãe. Essas Ig’s da mãe dão uma super imunidade aos filhotes, ou seja, o filhotinho fica imunizado contra todas as doenças para as quais a mãe tem anticorpos. Só que esta imunidade (chamada imunidade adquirida) não dura pra sempre. Você pode pensar em um gráfico em forma de parábola (um U invertido), a imunidade atinge um pico e depois começa a decair. Assim que essa imunidade adquirida pelo colostro (primeiro leite) cai, é hora de aplicar a vacina. Se a vacina for aplicada antes, quem irá reagir com o antígeno (agente causador da doença) presente na vacina serão os anticorpos da mãe e não do sistema imune do filhote, então, quando os anticorpos maternos “morrerem”  o filhotinho volta a ficar desprotegido, porque o sistema imune dele não teve chance de produzir Ig’s contra o antígeno. O processo é um pouco mais complicado que isso, mas só assim já da pra ter uma idéia de porque é necessário seguir direitinho a idade mínima para vacinação.

Aliada à Vacinação e tão importante quanto é a Vermifugação. Os vermes podem causar anemia, fraqueza, diarreia e morte em gatinhos, por isso não deixe de vermifugar! Assim como a vacinação, a vermifugação não segue um padrão. Quem define o calendário é o seu veterinário. Mas, em geral o calendário segue este esquema;

30 dias- 1a dose de vermífugo

45 dias- 2a dose de vermífugo

60 dias- 3a dose de vermífugo

Depois de adulto a vermifugação deve ser reforçada a cada 4 ou 6 meses, dependendo da região, hábitos do gato, etc, etc. O veterinário irá orientar.

Importante;

Não deixe a presença de vermes no seu gatinho ser confirmada para só então vermifugar!!! A vermifugação deve ser como prevenção!! O mesmo para a vacina, depois de doente, não adianta vacinar!

E quanto às visitas regulares ao Veterinário, não deixe de realizá-las!! Logo que adquirir seu gatinho, já corra para um veterinário de confiança para uma primeira consulta. Retorno a cada 6 meses para um check up também é muito importante! Quanto mais cedo as doenças forem diagnosticadas, mas fácil e eficaz é o tratamento!

Qualquer anormalidade com seu gatinho, procure o veterinário o mais rápido possivel! Não espere a doença piorar, o caroço crescer, a orelha sarar…o “vou deixar como está pra ver como que fica” muitas vezes acaba sendo fatal!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário